Você precisa da última versã do Flash PayerDownload da última versão Flash Player
16/12/2014

Bebê recém-nascido em roupinha azul
­

O retorno da licença-maternidade pode ser um momento difícil e doloroso para a família e, principalmente, para a mãe. Afinal, ela passou ao menos quatro meses grudada em seu filhote.

Por outro lado, a mãe retornará ao trabalho e à rotina de antes do bebê nascer. Poderá retomar suas tarefas diárias, reaver parte de sua independência e conviver novamente com os colegas e amigos.

É uma fase delicada, de separação, na qual muitas vezes a mãe sente mais que o filho. Cabe a ela ou aos pais decidirem onde e com quem o bebê passará seus dias.

Algumas possibilidades

Os berçários são locais organizados e especializados para acolher o bebê. Lá, o pequeno receberá a assistência necessária e poderá conviver com outras crianças a medida que for amadurecendo suas percepções, o que é muito positivo para seu desenvolvimento.

No entanto, esta escolha deve ser feita com bastante critério. Afinal, são necessários cuidados com higiene, segurança e alimentação, por exemplo.

Uma alternativa é contratar uma “cuidadora” e deixar o bebê em casa. Neste caso, é possível evitar que o filho adoeça com menos frequência por não estar em contato direto com muitos vírus e bactérias, mas não se trata de uma garantia.

É preciso também selecionar criteriosamente a babá, buscar referências, conversar com os ex-patrões e saber se ela gosta de criança. Além de treiná-la por um mês antes de você retornar ao trabalho.

Independente da escolha, o mais importante é que a mãe sinta-se segura com as pessoas e onde vai deixar seu filho e transmita tranquilidade a ele de modo que também fique confortável com a situação.

De volta ao mercado de trabalho

Neste período, é relevante focar-se no trabalho para gerar bons resultados. Por isso, torna-se essencial a segurança da mãe em relação aos “cuidadores”, para que ela concentre-se em suas tarefas.

Também é um momento no qual é preciso calma para organizar a nova rotina e adaptar-se às funções. Não deixe de confiar nas suas capacidades e tente viver a nova fase da melhor maneira possível.

Outra insegurança que pode aparecer é em relação à estabilidade no emprego. Enquanto grávida e durante a licença-maternidade, a mãe tem a sua posição e o seu salário garantidos por lei e não pode ser demitida sem justa causa.

Até o bebê completar seis meses, mesmo se tiver retornado ao trabalho, ela tem direito a duas pausas diárias de 30 minutos para amamentar. Se você puder aproveitar este benefício, será ótimo para seu filho. Uma dica é escolher um berçário próximo do seu trabalho.

É muito importante informar-se sobre os direitos, as leis e as políticas da empresa em relação à maternidade, mesmo antes de engravidar.

Tags: Babás e Berçários, Bebê, Trabalho, Licença-Maternidade

Sua avaliação:
1
2
3
4
5