Você precisa da última versã do Flash PayerDownload da última versão Flash Player
16/12/2014

Bebê chorando de bruços
­

Os cuidados com a alimentação do bebê são fundamentais para o bom desenvolvimento depois que ele vem ao mundo!

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente nascem 30 milhões de bebês com baixo peso (menos de 2,5 quilos), o que representa 23,8% dos nascimentos. Baixo peso ao nascer é um dos principais determinantes da mortalidade, incapacidade na infância e adolescência e também têm um impacto a longo prazo sobre os resultados de saúde na vida adulta.

O bebê de baixo peso deve receber cuidados especiais para ganhar gramas ou quilos. Para o bebê que nasce dentro da faixa esperada de peso, cuidados também devem ser tomados para que ele continue ganhando o peso necessário.

O bebê desnutrido

Para classificar um bebê como desnutrido, devem ser feitas algumas medições, contas e exames bioquímicos que podem ajudar para um melhor diagnóstico.

“A desnutrição em bebês pode ser classificada de acordo com as curvas da OMS, onde é possível verificar a relação entre peso/comprimento, peso/idade, IMC/idade e comprimento/idade”, explica Flávia Borges, nutricionista do Hospital Infantil Sabará.

Principais orientações

.Para um bebê que mama no peito, é preciso avaliar se a sucção está correta. Para isso, é muito importante que a mãe entenda como deve ser a mamada e como auxiliar o bebê nesta fase.

Às vezes, bebês mais magros possuem menos força no maxilar para executar o movimento de sucção da maneira correta. Em caso de dificuldades, um fonoaudiólogo pode ser consultado.

Para o bebê que é amamentado exclusivamente no peito, a recomendação é de que continue até os seis meses.-e-26-semana-do-seu-bebe “A partir dos seis meses, iniciar com “papa de fruta e sucos naturais,”como-introduzir-outros-alimentos-na-rotina-do-bebe e a partir do sétimo mês,-e-28-semana-do-seu-bebe introduzir papas salgadas”, ensina a nutricionista.

Se o pequeno não mamar apenas no peito ou só for alimentado com leite de fórmula, outros alimentos como frutas, verduras e legumes já podem fazer parte de sua dieta depois dos quatro meses.
Lembrando que estas transições devem ser feitas com acompanhamento de pediatras.

Grupos alimentares

Os alimentos são divididos em grupos e cada um deles fornece um tipo de benefício. “Todos os grupos alimentares são importantes, porém, é recomendável que o açúcar seja introduzido a partir de dois anos de idade”, ressalta Flávio Borges. A nutricionista preparou a seguinte tabela:

  • Carnes, ovos, feijões, leite e derivados – Fornecem proteínas que são importantes para as crianças, principalmente na fase de crescimento. Uma dieta deficiente em proteínas contribui para o déficit de crescimento, e pode levar à desnutrição proteica.
  • Pães, cereais e tubérculos – Esse grupo é fonte de carboidratos, e oferece energia necessária para o crescimento e desenvolvimento da criança. Os alimentos fontes de carboidratos são: batata, mandioquinha, macarrão, arroz e pães.
  • Frutas, verduras e legumes – São fontes de vitaminas, minerais e fibras. É recomendável que as crianças consumam de seis a sete porções de frutas, verduras e legumes por dia.
  • Gorduras e açúcares – São fontes de energia. As gorduras auxiliam na absorção de algumas vitaminas, e devem usadas no preparo das refeições. As fontes de açúcar devem ser consumidas apenas após o primeiro ano de idade, e os refrigerantes, doces, e açúcar de adição o consumo deve ser evitado antes de 2 anos de idade.

Tags: Alimentação, Bebê, Nutrição, Desnutrição

Sua avaliação:
1
2
3
4
5